• Seja bem vindo !

    Este site foi criado com o objetivo de divulgar a Umbanda e seus ensinamentos, atingindo não apenas os que frequentam nosso Templo, mas todos que se interessarem pela religião. Aqui você encontrará textos sobre rituais e normas de nossa Casa, reflexões da nossa Mentora, preleções das Entidades Chefes, temas desenvolvidos por médiuns da Corrente e de Saúde e Medicina Espiritual. Leia Mais
  • Nosso Livro

    O livro "Mensageiros da Espiritualidade" traz relatos ditados pelas Entidades Chefes e pela Mentora Espiritual do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, em um manifesto aos seus filhos, frequentadores e à humanidade, sobre os preceitos e conduta que regem a Umbanda Sagrada nos dias atuais... Leia Mais
  • Conheça nossa página do FaceBook

    https://www.facebook.com/Templo-Espiritual-De-Umbanda-Caboclo-Pena-Verde-212423025776472/ Leia Mais

Conceitos da Moral e dos Bons Costumes, méritos do espírito

A Umbanda veio para colocar ordem e dar sentido a moral e bons costumes no mundo. Dar noção real do que é, e do que trata a moral e o bom costume, mas mais diretamente a moral interna, intima da justiça e da verdade, do amor ao próximo, da caridade, da humildade, da paciência da perseverança, pois reconhecendo estes valores do caráter humano com certeza fica mais fácil aplica-los. 

 

Hoje pela rápida evolução que o mundo de vocês passa, voltada e valorizando totalmente à matéria, é nítida a necessidade de dar mais importância aos valores de conduta íntima, ao lado espiritual, ao crescimento espiritual.

Quando falamos de respeito e compromisso, logo associam a condições materiais, a obrigações com a matéria e com o mundo material, compromissos que envolvem ganhos, aquisições, status social, porém o que na verdade estamos abordando é o compromisso com a espiritualidade e a Casa escolhida por vocês para o exercício de sua religiosidade e a prática de sua fé.

Quantos de vocês já passaram por outras Casas Espíritas, mas ao encontrar aquela com a qual mais se identifica, mais se sente acolhido, física e espiritualmente, procurem levar com a maior seriedade possível, sem se preocupar apenas com a resolução de problemas pessoais, visem principalmente a questão espiritual, o objetivo do espírito, a necessidade do aprender, do melhorar para evoluir, e isso não é só para aqueles que vestem o branco, mas para todos.

São raras as pessoas que vem para a Umbanda por amor ou pela convicção da necessidade do crescimento espiritual, a maioria vem pela dor, por algo a pedir, livrando-o de barreiras que estejam atrapalhando sua vida, por falta de dinheiro, não é que não seja importante, mesmo porque nesse mundo é essencial para sua sobrevivência, assim como o trabalho, um parceiro ou parceira, mas é impressionante que quando olhamos lá de cima notamos que quando você alcança seu objetivo ou sua necessidade, torna-se pouco, você passa a querer mais, e mais, e mais, e seu objetivo e compromisso acaba sendo apenas com a matéria, deixando totalmente de lado fatores muito mais importantes que dão sentido a sua presença neste mundo.

A partir do momento que vocês estabelecem como principal finalidade ou condição a Umbanda como sua religião com consciência e convicção, então você tem também que colocá-la como um compromisso em sua vida, uma necessidade para seu ao espírito, uma obrigação muito maior e muito mais significativa em importância do que os requisitos e os valores da matéria. A matéria é um meio e não uma finalidade, são os recursos que precisa para sua permanência neste plano pelo tempo que lhe for permitido ou que você por suas ações e conduta se permita ficar, a serviço de sua espiritualidade, da sua formação espiritual.

A primeira atitude que tomam ao alcançar seu pedido é vir ao Terreiro esporadicamente ou mesmo afastar-se até que surja outra necessidade ou problema sempre de ordem material, e isso ocorre até mesmo com filhos que entram para um desenvolvimento mediúnico, principalmente quando se deparam com algumas responsabilidades e exigências da Casa ou do próprio compromisso espiritual.

Desviam-se do caminho de forma proposital, em alguns casos alegando impossibilidades em razão de outras atividades profissionais, escolares, ou pessoais, sem o mínimo esforço ou um pouco se quer de sacrifício em pró da religião que o amparou quando precisou e que sempre irá ampará-lo, evitando ter que enfrentar o que é de fato o verdadeiro compromisso. E o que é pior, achando que isso não é percebido, aparecem com desculpas até vergonhosas, para não participar das obrigações que na verdade são dedicadas aqueles que com interminável persistência fizeram e fazem o melhor por ele. Esta é uma das atitudes mais frustrantes e decepcionantes para qualquer um, sendo da mesma forma para a espiritualidade.

Levem sua religião mais a sério, quantos dão desculpas para ausentar-se, negando dedicar-se a responder até com o  mínimo de gratidão,  aqueles que talvez não a olhos vistos, como gostariam que fosse, mas que fazem tudo por vocês, protegem, iluminam seus caminhos, encaminham suas vidas, o afastam do mal,  o orientam. Ouçam com um pouco mais de reverencia e respeito, o que eles têm a dizer, coloquem em prática, sintam a energia que lhe é oferecida durante todo o tempo que está nesta Casa, sem te pedir nada em troca a não ser um mínimo de consideração.

É impressionante, como muitos conseguem ler um livro, uma revista ou algo assim, em questão de horas que fala sobre sexo ou fofoca, amenidades que não trazem nenhum valor concreto, um compromisso de objetivo espiritual ou mesmo de alerta de conduta, apenas mera curiosidade, e não tem um tempo mínimo que seja, ou pode dispor de um pouco do pataco (dinheiro) para ter um Evangelho segundo Espiritismo, ou mesmo o Livro da Casa ao lado de sua cabeceira, para ler um trecho que possa inspira-lo intimamente, antes de dormir e refletir sobre ele.

A religião ficará em último plano, a desculpa é sempre o meu sustento, as minhas necessidades, as minhas atividades extra religião, são sempre estas as desculpas dadas para meu aparelho. É claro que ela não está pedindo para ninguém passar necessidade ou descumprir uma obrigação pessoal, de trabalho ou seja qual for, é claro que não se quer que ninguém se torne um fanático religioso, o que se pede é simplesmente um pouco mais de consciência religiosa, pois é da mesma forma clara e nítida por muitas vezes, a falta de responsabilidade e compromisso.

Vocês não tem noção que cada trabalho cortado, interrompido é por nós e de nós cobrado, bem como, deste aparelho que foi preparada para o cumprimento dessa missão, porque se todos que aqui estão fazem parte dessa família espiritual, é porque devem, por algum motivo, por alguma necessidade vivida lá atrás, trazida de outras vidas, colocar em prática o ouvir, refletir, mudar e agir diferentemente do que hoje fazem e agem.

Seja qual for sua missão mediúnica, na incorporação, trazendo junto com as Entidades, orientações e aprendizados ou qualquer outra faculdade mediúnica ou mesmo apenas para aprendizado e evolução, sem o exercício da mediunidade, haverá sempre uma cobrança para Nós Entidade, para a Baba e para a Casa, no sentido de fazer com que a prática desta mediunidade ou o aprendizado para a evolução do espírito seja sério, objetivo, levando ao melhor resultado no cumprimento da missão.

É por isso que temos que repetir e insistir várias vezes neste mesmo assunto e cobrá-los, como seu compromisso para com a Umbanda, praticando e divulgando-a continuamente, pois esta é nossa missão maior, dar-lhe o vulto e a importância que deve ter no benefício de toda humanidade, para tornar este mundo muito melhor, para transformar pessoas, para vocês mesmo, para seus filhos e netos, é pensar e agir alto sim, é pensar e agir grande, tão grande quanto a Luz de Oxalá, pois não existe e nunca existirá nada maior que ela.

Tem que haver muito empenho muita dedicação e doação por parte de todos, de dentro e de fora da Corrente, sem desculpas, sem comodismo, sem artimanhas falsas, sem os engodos que só prejudicam e atrasam seu caminho e sua evolução, porque é somente disso que vocês serão cobrados, o resto ficará tudo aqui.

Quem trouxe a encomenda foi o espírito e é ele que deve trazer quando de sua volta ao plano espiritual o que lhe foi pedido e com certeza não será nada material, pois isso não teria qualquer serventia.

Quando estão passando por um problema, por uma dificuldade ou enfermidade que ainda lhe permita locomover-se, mesmo com muito esforço, é quando mais precisam vir buscar ajuda no Templo, exatamente para renovar as energias que lhes darão força para continuar, porém a primeira reação é dizer, não tenho condições ou cabeça para estar no Terreiro hoje, não é sua cabeça, é sua vontade, é sua fé falha ou até inexistente, porque para dizer isso é sinal que não aprendeu nada, que você não tem cabeça para nada, é não perceber, não ter aprendido que aqui receberá as respostas, saberá dos reais valores de uma verdadeira fé, encontrará as saídas para a resolução de suas dificuldades sem esperar que estas sejam da forma que você quer ou dentro dos prazos que você estabeleceu.

Aprimorem-se mais na essência e na base da literatura Umbandista ou mesmo Kardecista, nas preleções das Entidades, nas orientações ao passar por consulta, livros de Casas e autores sérios e compromissados com o relato da verdade, do ensinamento, mas principalmente procurando esclarecer todas as suas duvidas para que não deem interpretações erradas, e usem de toda esta bagagem em pró de uma transformação, pois é desta maneira que surgirá de forma clara o rumo para o aprimoramento do espírito e do ser humano, bem como favorecendo aqueles que vocês mais amam e com esta transformação estarão prontos para também favorecer principalmente aqueles que vocês mais odeiam. Isto sim é uma das encomendas que lhe foi pedida antes de vir a este plano e juntando esta a outras, dará méritos ao espírito e terá o reconhecimento de Oxalá.

Mensagem proferida pela Entidade Preta Velha, Vovó Catarina do Templo Espiritual Caboclo Pena Verde em, 08/08/2012