• Seja bem vindo !

    Este site foi criado com o objetivo de divulgar a Umbanda e seus ensinamentos, atingindo não apenas os que frequentam nosso Templo, mas todos que se interessarem pela religião. Aqui você encontrará textos sobre rituais e normas de nossa Casa, reflexões da nossa Mentora, preleções das Entidades Chefes, temas desenvolvidos por médiuns da Corrente e de Saúde e Medicina Espiritual. Leia Mais
  • Nosso Livro

    O livro "Mensageiros da Espiritualidade" traz relatos ditados pelas Entidades Chefes e pela Mentora Espiritual do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, em um manifesto aos seus filhos, frequentadores e à humanidade, sobre os preceitos e conduta que regem a Umbanda Sagrada nos dias atuais... Leia Mais
  • Conheça nossa página do FaceBook

    https://www.facebook.com/Templo-Espiritual-De-Umbanda-Caboclo-Pena-Verde-212423025776472/ Leia Mais

Ervas Medicinais: ARRUDA

 

Arruda (Ruta graveolens L.) – Subarbusto perene originário da Europa meridional cultivada em vários países. Possui caule lenhoso na parte inferior, pouco ramificado, de folhas compostas e folíolos aromáticos, de cor verde-azulada, flores pequenas e amarelas.

 

Esta erva está geralmente associada às Entidades de Preta e Preto-velhos, como instrumento utilizado para “benzeduras”, para limpar o ambiente e pessoas, mau olhado, inveja, quebrante em crianças e outros males trazidos de ambientes e/ou pessoas, esta ação é feita pelo poder atribuído a esta erva de pelo forte aroma. Utilizada na limpeza do Consulente, em alguns casos utilizados nos Terreiros durante consultas, ou em forma de banhos de defesa, só ou junto a outras ervas, banhos de proteção, também muito atuantes no equilíbrio mental/espiritual, na sabedoria, na paciência e tolerância. Para preparar o banho use somente as folhas.

Desde a mais remota antiguidade é tida como planta mágica, usada em rituais de proteção do homem, especialmente crianças, defesa contra doenças e realização de sonhos e desejos.

Como erva medicinal, a literatura etnofarmacológica cita seu uso em medicina popular na forma de chá como medicação caseira no tratamento de desordens menstruais, inflamações na pele, dor de ouvido, dor de dente, febre, câimbras, doenças do fígado, verminose e como abortivo. Segundo estudos farmacológicos, esta planta tem atividades anti-helmíntica (elimina vermes intestinais), febrífuga (antifebril), emenagoga (que provoca menstruação) e abortiva.

Possui propriedades adstringente, analgésica (reduz a dor), antiasmática, antiepiléptica, antiespasmódica (reduz contrações musculares involuntárias), anti-helmíntica (elimina vermes), anti-histérica, anti-inflamatória, antinevrálgica (redução de dores do sistema nervoso), bactericida (mata bactérias), calmante, carminativo (eliminador de gases intestinais), cicatrizante.

Pelo menos 2 de suas preparações caseiras são aceitas pela medicina oficial, e o sumo (líquido extraído) obtido por pressionamento das folhas. O chá por infusão no tratamento da menstruação atrasada é preparado adicionando-se água fervente a uma xícara das de chá contendo uma colher das de café das folhas picadas e usado na dose de duas xícaras por dia. O sumo é empregado para aliviar a dor de ouvido, colocando-se 2 a 3 gotas no ouvido doloroso.

O emprego desta planta, tanto por via oral, quanto por via tópica (externa), deve ser feita com muita cautela e moderação, devido ao seu efeito tóxico sobre o útero, podendo em alguns casos, provocar hemorragias, além de quando sobre a pele, provocar queimaduras severas quando a pele é exposta ao sol.

 

Bibliografia consultada:

. Lorenzi, H & Matos, F.J.A. 2002/2008. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum. Pg 477.

. Braga, R.A. 1960. Plantas do Nordeste, especialmente do Ceará. Fortaleza: Editora Imprensa Oficial, 540p.

. Vieira, L. S. 1992. Fitoterapia da Amazônia.