• Seja bem vindo !

    Este site foi criado com o objetivo de divulgar a Umbanda e seus ensinamentos, atingindo não apenas os que frequentam nosso Templo, mas todos que se interessarem pela religião. Aqui você encontrará textos sobre rituais e normas de nossa Casa, reflexões da nossa Mentora, preleções das Entidades Chefes, temas desenvolvidos por médiuns da Corrente e de Saúde e Medicina Espiritual. Leia Mais
  • Nosso Livro

    O livro "Mensageiros da Espiritualidade" traz relatos ditados pelas Entidades Chefes e pela Mentora Espiritual do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, em um manifesto aos seus filhos, frequentadores e à humanidade, sobre os preceitos e conduta que regem a Umbanda Sagrada nos dias atuais... Leia Mais
  • Conheça nossa página do FaceBook

    https://www.facebook.com/Templo-Espiritual-De-Umbanda-Caboclo-Pena-Verde-212423025776472/ Leia Mais

Responsabilidade dos Médiuns de Consulta, Descarrego e Linha Médica

Objetivo

Padronizar as atividades, responsabilidades e condutas a serem seguidas por todos os Médiuns de Consulta, Descarrego e Linha Médica da Corrente do T.E.U. Caboclo Pena Verde, buscando harmonizar a conexão entre o plano espiritual e o físico dando equilíbrio e sustentação aos trabalhos realizados, tendo como objetivo a evolução do espírito, tanto no Terreiro como no Santuário ou em outras atividades espirituais programadas.

Considerações Iniciais

Através da mediunidade se estabelece a comunicação do mundo material com o espiritual. Sabemos que a mediunidade é uma sensibilidade que se manifesta de diferentes formas e ela vai se aprimorando com a prática e se torna mais intensa, portanto deve ser bem dirigida, orientada e aceita com compromisso e seriedade. Deve estar voltada ao bem da Humanidade e estar a serviço da evolução e crescimento do espírito, pois foi assumida antes do encarne na matéria. O espírito já trás esta marca e de acordo com seu compromisso será voltada para a cura, orientação, incorporação, etc. Quanto mais for exercitada mais será aprimorada.

A mediunidade vai ser entendida e desenvolvida de acordo com o grau de maturidade, evolução ou estudo para ser vivenciada pela pessoa de maneira a prestar o socorro e a caridade necessária ao cumprimento de sua missão.

Há um chamado da espiritualidade para que esta mediunidade atinja os objetivos pré-determinados em prol da evolução do espírito e de ações benéficas ao mundo material.

O Médium de Consulta disponibiliza seu corpo, para que através dele, Entidades de luz e de alta vibração, se manifestem dando palavras de orientação, alívio e consolo, cura dos males espirituais e outras ações e atividades que se desenvolvem dentro de um Terreiro.

Essas ações devem ser sempre consideradas como ações da espiritualidade e os médiuns devem manter uma postura integra, isenta de vaidades ou qualquer outro sentimento não condizente ao serviço de caridade e doação para o cumprimento de sua missão.

Deve existir uma troca mutua entre Médium e Entidade onde um fornece toda uma experiência de uma vida regrada e enriquecida pelo avanço intelectual e comportamental no plano terrestre e o outro, toda uma bagagem evolutiva regida pelo conhecimento e amparo recebido no plano Espiritual, onde ambos se beneficiam em seu aprendizado, conhecimento e principalmente evolução espiritual.

São deveres indispensáveis de todos os Médiuns de Consulta, Descarrego e Linha Médica: 


Assumir conscientemente sua mediunidade e saber lidar com ela

É preciso ter consciência de que a mediunidade não limita o ser nem o escraviza, apenas exige dele uma conduta de acordo com o que esperam as Entidades que atuam no plano material através dele para socorrer os encarnados.

O Médium, seja de Consulta, Descarrego ou Linha Médica, deve entender que é um “Templo Vivo”, no qual se manifestam as Entidades, e os Orixás ou mesmo na retirada e incorporação de espíritos sem luz quando dos trabalhos de descarrego, cumprindo assim suas missões junto aos irmãos encarnados.

Não interferir nas Consultas

A mente do médium faz a captação da mensagem da Entidade e a decodifica telepaticamente com a ajuda da mesma. O que o Médium recebe e transmite segundo sua compreensão psíquica varia de acordo com o equilíbrio de sua personalidade ou influência externa que vivencia no momento. É preciso, portanto, que o Médium se permita um período maior de concentração e firmeza, fazendo com que a Entidade assuma por inteiro sua mente e o manifesto através de seu corpo, sem que haja uma interferência pessoal, isto ocorre com o bloqueio do raciocínio deixando fluir toda emanação da Entidade sempre proferida em suas primeiras palavras.

Buscar a energia da força vital positiva

A mediunidade é um instrumento para alcançar a sabedoria interior, expurgando de seu intimo, as vaidades, egoísmo, orgulho,  vaidades, ganância e todos os sentimentos inerentes a espíritos inferiores, por meio do afloramento dos estados evolutivos de sua capacidade sensitiva, de forma a distinguir com precisão influências positivas e negativas, aprimorando o processo de crescimento espiritual de integração com as energias vibrantes e iluminadas, recebidas do plano Espiritual.

A um Médium de Consulta, Descarrego ou Linha Médica, exige-se um reajustamento íntimo de tal ordem, que mentalmente é preciso se colocar numa vibração na qual tudo flua naturalmente, permitindo a incorporação de suas Entidades sem que suas mentes criem bloqueios que impeçam a completa manifestação da mesma, para isso oferecemos curso de formação mediúnica para esclarecer e abrir da melhor forma possível e com maior clareza o canal de ligação com seus Mentores.

Não permitir a interferência das dificuldades materiais

As dificuldades de ordem material, sentimental, familiar, profissional ou de saúde são em grande parte temporárias e superáveis, porém não deve em hipótese alguma influenciar o desejo, auto estima e entusiasmo do Médium, ou mesmo atribuir à religião a culpa ou a responsabilidade de não ter impedido tais dificuldades. O Médium deve manter-se firme e útil a seus semelhantes, pois é neste momento que o desenvolvimento mediúnico, respaldado pela fé, perseverança e confiança no Templo, suas Entidades e Orixás de Comando, sobrepõe-se a todos os inconvenientes ou obstáculos de ordem material, auxiliando-o na continuidade do cumprimento de sua Missão. 

Rever-se internamente, sempre que necessário

O Médium deve ter consciência de seu estado de fragilidade emocional momentâneo, procurando amparo e ajuda espiritual dentro de seu Templo. Caso seja de ordem psicológica e exija algum auxilio externo especializado, isto deve ser de conhecimento da Mãe de Santo para que haja um apoio espiritual paralelo.

O Médium deve estar preparado para enfrentar tais fragilidades sem que isto cause interferência na Corrente do Templo. Manter pensamentos positivos para bons efeitos tanto do corpo físico como do espírito. Há emoções que geram consequências drásticas e bloqueios no campo Espiritual que podem comprometer a mediunidade. Sentimentos como a raiva, medo, ressentimento, culpa e outros nesta ordem, reduzem a sintonia entre o Médium e Entidade, diminuindo a capacidade física e mental para uma plena incorporação.

Não sentir ciúme ou inveja dos irmãos

O dom da mediunidade deve ser agradecido e reconhecido como uma oportunidade que nosso Pai Oxalá esta nos dando para evoluirmos de acordo com nossas necessidades e merecimentos. Todas as pessoas são munidas de mediunidade (sensibilidade) de diferentes formas, portanto os valores mediúnicos são equiparáveis e importantes dentro de suas características de ajuda a humanidade. A mediunidade se manifesta nas habilidades da ligação com a espiritualidade, cujo conhecimento é trazido de vidas passadas e pode se expressar na forma de atividades e dons como da pintura, musica, interpretação, escrita e tantos outros. Lembrar sempre que somos Espíritos eternos em trânsito evolutivo e que não nos cabe julgar quem possui maior ou menor bagagem, conhecimento ou merecimento.

Acolhimento e respeito aos novos Médiuns

Um novo Médium deve ser acolhido pelos irmãos já iniciados com muita atenção carinho e respeito, é mais um Filho de Santo do Terreiro que necessita de orientação e preparo, pois ainda não reúne a segurança e autoconfiança necessária para o desempenho de suas funções. Cabe aos Filhos mais antigos e experientes os cuidados para o correto desenvolvimento do novo Médium, não sendo admissível imposição de experiências pessoais, mas sim das normas estabelecidas pelo Templo, podendo ser assim ótimos exemplos de disciplina e religiosidade para seus novos irmãos de fé na pratica da Umbanda.

Disciplina

Entende-se por disciplina o respeito à organização dos trabalhos, às normas, preceitos e diretrizes do Templo, bem como as orientações da Mãe de Santo. O ato de indisciplina demonstra o não comprometimento com as regras estabelecidas, falta de consciência, respeito e maturidade. Caso o Médium, após novamente ser alertado persistir no ato, será afastado de suas atividades ou mesmo excluído da Corrente.

Colaboração nas atividades e serviços do Templo e Santuário

O Médium deve estar inteiramente integrado ao seu Terreiro, considerando-o seu próprio lar, colaborando para que ele se mantenha, prospere e cresça. É sempre agradável trabalhar e frequentar um ambiente limpo, organizado e acolhedor. Deve ter consciência que pode contribuir nas atividades exigidas dentro das Giras, bem como, fazendo uso de suas habilidades auxiliarem nos serviços de conservação, manutenção e todos os reparos que a casa necessitar.

Humildade, Paciência e Tolerância

O Médium quando dentro da Corrente deve estar sempre a serviço da espiritualidade acolhendo de forma respeitosa o manifesto de suas Entidades, não criando qualquer obstáculo a incorporação. Deve estar consciente dos compromissos assumidos, isentos da soberba, orgulho ou vaidade, pois sabe que o Médium não é um fim em si mesmo, mas apenas um meio. Ter humildade é reconhecer que não é melhor que nenhum dos Médiuns que compõe a Corrente, tratando a todos com respeito, carinho e dignidade. A paciência e a tolerância são virtudes importantes e requisitos fundamentais de agregação da Corrente de Trabalhos Espirituais.

Estudar sempre

O conhecimento, aprofundamento de estudos e esclarecimentos em geral são importantíssimos, porém requer cuidados na escolha de uma literatura voltada aos preceitos da religião dentro da conduta estabelecida pelo Templo Espiritual Caboclo Pena Verde, de forma clara e responsável, não permitindo a influencia de outras filosofias, seitas ou praticas não reconhecidas pela doutrina adotada pelo Templo dentro da orientação da Umbanda.

 A Umbanda praticada por este Templo está baseada nos princípios da crença Africana e conceitos voltados a espiritualidade influenciadas pelo catolicismo e pelo espiritismo através das obras de Allan Kardec (Livro dos Espíritos, Livro dos Médiuns, Evangelho Segundo o Espiritismo, Gênese e O Céu e o Inferno). Para que isso se realize adequadamente é necessário que os praticantes e seguidores da Umbanda estudem em profundidade seus fundamentos religiosos que podem ser encontrados também  nos cursos ministrados em nosso Templo mensalmente, ou na leitura do livro Mensageiros da Espiritualidade e nas mensagens divulgadas em nosso Site.



Deveres dos Médiuns em Desenvolvimento

Além de todas as orientações acima, os Médiuns recém chegados ou em desenvolvimento têm os seguintes deveres:

Buscar orientações

Sempre que houver qualquer tipo de duvida nunca deixe de esclarecê-la. Procure orientação com os Médiuns mais experientes do Templo que, dependendo do assunto, poderão encaminhá-lo para que fale com a Mãe de Santo ou as Entidades Chefes. O desenvolvimento fluirá sempre naturalmente, tranquilo e equilibrado na forma e ao tempo adequado a cada Médium. A relação entre Médium e Entidade requer um período de amadurecimento que não é ditado pelo Médium, mas sim pela necessidade da Entidade no fortalecimento desta ligação. O aprendizado para o desenvolvimento é uma pratica constante durante toda a vida do Médium neste plano. É parte importante deste aprendizado, a humildade, caridade, devoção, bom senso, perseverança e fundamentalmente fé e amor.

A importância dos trabalhos dentro da Umbanda

Todo e qualquer trabalho e/ou atividades realizados durante as Gira ou nas demais cerimônias regidas pelo Templo tem o mesmo grau de importância, caso contrario não teria sentido realizá-los. É um conjunto de trabalhos e atividades, tais como, auxilio ao descarrego, oração de firmeza (após descarrego), auxilio ao desenvolvimento dos iniciantes, observação e orientação na conduta dentro do Terreiro e mesmo na assistência, conservação da Casa, Santuário, atividades do Cambone, incorporação, etc. Estes são exemplos de relevância para o bom andamento dos trabalhos durante e fora das Giras, para que tudo transcorra de forma harmoniosa e equilibrada. Todo o Filho de Santo que abraçou a espiritualidade deve ter a consciência de que sua missão está voltada ao trabalho como um todo, não cabendo a ele classificá-lo ou mesmo se opor a fazê-lo imaginando sua menor ou maior importância. Jamais deem qualquer desculpa para se ausentarem de suas obrigações. Assim sendo, há uma infinidade de atividades reservadas aos Médiuns na Umbanda, é só terem consciência da beleza Espiritual da religião que abraçaram com humildade, fé, amor e confiança.

Compromissos e Obrigações

São obrigatórios e fundamentais, para todo os Médiuns de Consulta, Descarrego e Cura os seguintes itens:

  • Saber com antecedência suficiente qual será a Gira da noite para que não haja erro na preparação e na escolha do material necessário para a Gira

 

  • Trazer para as Giras todos os acessórios e itens exigidos pela Entidade para o bom andamento dos Trabalhos, ou seja, todos os apetrechos da Entidade, bebidas não alcoólicas, comidas, cigarros, charutos, flores, galhos de arruda, etc, sendo que estes devem ser usados de maneira comedida.

 

  • Trazer limpos os aventais dos consulentes, seus Ojás e sua vestimenta para a Gira da noite. A lavagem dos mesmos deve ser feito em separado das demais roupas, acrescentando à lavagem final um punhado de sal.

 

  • Ter um relacionamento e entrosamento perfeitos com o seu Cambone determinando o que cada um deve trazer ou fazer para que não haja qualquer tipo de falha durante a Gira.

 

  • Caso seu Cambone seja um Médium em desenvolvimento, trabalhar sua mediunidade e Entidades do dia, e orientá-los em todas suas dúvidas, alertando-os quanto à conduta correta dentro do Terreiro, observando todas as normas da melhor forma possível. Deve ser sempre salientado que o desenvolvimento associado à incorporação, deve somente ser praticado dentro do Terreiro e (em hipótese alguma fora dele) ao final da Gira ou de acordo com a necessidade da Entidade em trabalho durante a Gira.

 

  • Todos os Filhos de Santo deverão deixar suas Guias de trabalho e suas Coroas guardadas em seus armários no Templo. Poderão levar consigo apenas uma Guia de Direita e uma de Esquerda de contas pequenas já cruzadas, tendo o cuidado de trazê-las às quartas feiras para limpeza e defumação na Gira.Todos os Filhos de Santo devem ter consciência de que as Guias de trabalho são de uso interno e devem permanecer no Templo, local de firmeza, energia e ligação com a espiritualidade de Comando e Chefia do Terreiro, preservando a proteção que é estendida a cada Filho onde ele estiver. Não devendo estar exposta a locais inadequados sem o respaldo espiritual do Templo.

 

  • Quando uma Guia de Trabalho estoura por alguma razão que pode ser uma demanda, carga negativa ou por se romper naturalmente, independente do local, é de opção do Médium refazê-la  ou entregá-la no Santuário, e sendo o caso na Praia pode ser entregue no Mar ou mantida no local onde caiu. Se optar por refazê-la as contas da Guia de Direita devem ser lavadas em água do Mar e Cachoeira, e as de Esquerda deverão ser recolhidas, lavadas em pinga e refeitas. As Guias de proteção (de uso externo, miçangas de contas menores), caso estourem pelos mesmos fatores mencionados acima, devem ser recolhidas o máximo de contas possíveis, não refazer e jogá-las em água corrente limpa, substituído-a imediatamente.

 

  • As entregas no Santuário são feitas para homenagear as Entidades e Orixás, portanto são destinadas a eles e não aos Filhos de Santo que não deverão servir-se das oferendas depositadas na Mesa (toalha). 

 

  • É importante que todos os Filhos de Santo saibam que os trabalhos ou entregas realizados para na Direita ou Esquerda, seja de iniciativa dos Filhos de Santo, assistência, com ou sem a orientação das Entidades, passarão pelo crivo das Entidades de Chefia e Comando da Casa e somente tomará efeito se estiverem respaldadas por elas, justificadas pelo beneficio e justiça do que esta sendo pedido. Trabalhos orientados ou realizados por pessoas alheias ao Templo não terão qualquer validade, pois serão bloqueados pelo Comando Maior.

 

Considerações Finais

O pleno conhecimento desta norma não exime os Médiuns de Consulta, Descarrego e Linha Médica, do conhecimento das Normas Gerais dos Filhos da Casa, Atividades dos Cambones, Atividades dos Ogãs e das Normas Gerais da Assistência, todas são de extrema importância e exigem que todos as conheçam profundamente, ou seja, são complementares.