• Seja bem vindo !

    Este site foi criado com o objetivo de divulgar a Umbanda e seus ensinamentos, atingindo não apenas os que frequentam nosso Templo, mas todos que se interessarem pela religião. Aqui você encontrará textos sobre rituais e normas de nossa Casa, reflexões da nossa Mentora, preleções das Entidades Chefes, temas desenvolvidos por médiuns da Corrente e de Saúde e Medicina Espiritual. Leia Mais
  • Nosso Livro

    O livro "Mensageiros da Espiritualidade" traz relatos ditados pelas Entidades Chefes e pela Mentora Espiritual do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, em um manifesto aos seus filhos, frequentadores e à humanidade, sobre os preceitos e conduta que regem a Umbanda Sagrada nos dias atuais... Leia Mais
  • Conheça nossa página do FaceBook

    https://www.facebook.com/Templo-Espiritual-De-Umbanda-Caboclo-Pena-Verde-212423025776472/ Leia Mais

Caboclo Pena Verde – Revivendo momentos

Quando Dona Anna estava neste plano e era a Babá do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, as preleções aconteciam durante a abertura, quando do ponto para Oxossi e Pena Verde.

Os Ogãs batiam os pontos de abertura da mesma forma feita atualmente, porém quando evocavam Oxossi e o Caboclo Pena Verde a nossa Mãe de Santo Anna D´Orto era incorporada por Ele. Ele chegava bradando seu grito caboclo com domínio e altivez, seu brado de saudação, característico dos Caboclos, mas ao seu estilo, iêche, iêche!!

Ele era e ainda é o Comandante da Direita fundador de nosso Templo e desta forma estará sempre à frente da Direita deste Templo pelos desígnios de Oxalá, dono absoluto deste lugar, tendo como presença e chefia dos trabalhos no Terreiro, a iluminada Cabocla Jurema através de sua Médium Sônia, Babá e Mentora em Terra do Templo, ambas já previamente escolhidas pela Espiritualidade, à altura de Dona Anna e do Caboclo Pena Verde, na direção do Terreiro.

 

Nossos corações “pulavam pra fora da boca” tamanha era a vibração que invadia nosso ser! Nossos olhos se enchiam de lágrimas por recebermos daquela Entidade de tanto amor, ternura e profundidade de ensinamentos. Todos de alguma forma se identificavam em suas palavras, pois eram sempre atingidos por elas.

Lembro-me que o Caboclo Pena Verde nos ensinava por meio de parábolas. Ele usava as narrativas, as pregações, histórias e estórias de cunho instrutivo que estão no novo testamento (Bíblia Sagrada), escrita pelos evangelistas no intuito de retratar as passagens e os ensinamentos do Cristo, que chamamos de nosso Pai Oxalá, transformando-os em exemplos e lições para todos nós, com muita sensibilidade, sabedoria e profundidade, sabendo exatamente onde atingir de forma a mexer com nosso íntimo, com nossos sentimentos, nos levando a uma reflexão maior!

Em particular, nesta semana, resgatei da memória a estória ou parábola contada por Ele, do semeador, aquele que saiu pra semear:

“O semeador saiu para semear, ao semear, uma parte da semente caiu à beira do caminho e as aves vieram e a comeram. A outra parte caiu em lugares pedregosos, onde não havia muita terra. Logo brotou, mas a terra era pouco profunda e quando o sol surgiu, queimou-se, e por não ter raiz, secou. Outra ainda caiu entre os espinhos. Os espinhos cresceram e a abafaram. Outra parte, finalmente, caiu em terra boa e produziu fruto, uma cem, outra sessenta e outra trinta! Quem tem ouvidos que ouça!”.

O que ele quis dizer com essa parábola? Sua explicação é que o semeador é como aquele que profere a palavra, o ensinamento, as orientações, podendo ser Entidade ou Médium, extraída não somente nesta vida, mas com sua maior bagagem trazida de muitas e muitas vidas passadas, inconsciente, mas espontâneo e verdadeiro que brota do espírito e da espiritualidade que o acompanha e inspira. Por isso pode vir de uma criança, de um adolescente e principalmente de um idoso, quando este espírito se propõe a isto.

Se o espírito não está preparado, evoluído o suficiente, pode não aceitá-la ou não entendê-la. Ou mesmo recebê-la com humildade e alegria, pois quando a raiz não se fixa em si mesmo, nem há uma maior sustentação, qualquer ponto de vista contrário ou dificuldade que interfira neste momento, a lição não é aprendida e acaba esquecida.

Ou ainda aquele que é sufocado por espinhos, que seriam os males do mundo material, a cobiça, as vaidades, a luxúria, acabam tornando infrutífera toda esta carga de ensinamentos.

Porém aquele que com um pouco mais do preparo espiritual, ouve e entende a palavra proferida, se transforma, se reforma e a passa pra frente, como árvore apóstolo, dando e espalhando belos frutos, cheios de vida em suas sementes! Esse é o verdadeiro discípulo, aquele que vive a doutrina, aquele que evolui em espírito, aquele que cumpre seu papel dentro da Umbanda.

Essa é nossa tarefa perante a espiritualidade, ser a terra fértil que faz brotar e crescer a árvore de bons frutos que dissemina e espalha suas sementes como na parábola do semeador!

Saravá meu querido mestre, Caboclo Pena Verde!

 

Escrito por Rossana Di Natali, com a colaboração de Carlos Feitosa, Médiuns do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde em, 27/11/2012.