• Seja bem vindo !

    Este site foi criado com o objetivo de divulgar a Umbanda e seus ensinamentos, atingindo não apenas os que frequentam nosso Templo, mas todos que se interessarem pela religião. Aqui você encontrará textos sobre rituais e normas de nossa Casa, reflexões da nossa Mentora, preleções das Entidades Chefes, temas desenvolvidos por médiuns da Corrente e de Saúde e Medicina Espiritual. Leia Mais
  • Nosso Livro

    O livro "Mensageiros da Espiritualidade" traz relatos ditados pelas Entidades Chefes e pela Mentora Espiritual do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, em um manifesto aos seus filhos, frequentadores e à humanidade, sobre os preceitos e conduta que regem a Umbanda Sagrada nos dias atuais... Leia Mais
  • Conheça nossa página do FaceBook

    https://www.facebook.com/Templo-Espiritual-De-Umbanda-Caboclo-Pena-Verde-212423025776472/ Leia Mais

Desenvolvimento mediúnico – Entidades de trabalho de incorporação e Entidades de suporte aos trabalhos espirituais

É sempre bom lembrarmos que um Médium para se dizer em desenvolvimento deve estar com sua capacidade de discernimento e bom senso aguçada e em alerta para que ao início de um contato mais próximo com os espíritos de luz que já o acompanham e que foram designados ao trabalho em conjunto, seja qual for a faculdade mediúnica, possa estar à disposição, sentindo essa Entidade, disponibilizando-se totalmente a que ela comande seu corpo, entrando em sintonia com sua energia e assim a incorporação ou qualquer outra faculdade mediúnica, se processe de maneira natural, sem interferência de reações e emoções do próprio Médium.

A faculdade mediúnica não é um dom isolado, somente do espírito da matéria que servirá a este propósito, mas sim da combinação, de um conjunto e de uma formação espiritual que fará com que está faculdade seja conduzida por inteiro, portanto não esta somente a critério do espírito do Médium ou da própria Entidade, ela traz com ela outras fontes, traz também regras e toda uma disciplina de ordem espiritual que rege suas ações e seus objetivos.

Isso não quer dizer que o Médium não tenha consciência daquilo que está se passando, pois como sabemos a grande maioria dos Médiuns de incorporação são conscientes e isso é muito bom e tem importância significativa neste processo, pois dá a ele a noção do que está a sua volta e medidores para as ações dele próprio e das Entidades, não permitindo qualquer influência nem de um lado nem do outro, e isso é muito importante até o ponto de um maior amadurecimento do Médium e das Entidades na relação um com o outro, com a consulta e suas obrigações enquanto manifestados dentro de um Gira ou onde sua presença seja requerida obedecendo as regras espirituais e do Templo no qual atuam.  Neste contexto está também um outro aspecto de igual relevância, toda esta relação consciente dá a ambos a possibilidade do evoluir e aprender com os ensinamentos e orientações da Entidade que incorporou, e para a Entidade na participação em terra, sua conduta e na maior contribuição que pode dar, usando da visão e da experiência de seu Médium sério e equilibrado.

Para os Médiuns que não possuem a consciência durante o processo de incorporação, existe um motivo que da mesma forma atende a um requisito espiritual para que determinadas coisas devam acontecer dentro dos propósitos da espiritualidade, com total isenção, por este motivo são muito poucos os casos. São diferentes formas de atuação da espiritualidade, sempre inteligente, ou mesmo sabia e organizada voltada a seus objetivos.

O que devemos separar é o joio do trigo, pois temos muitos espíritos parceiros que trabalham nos bastidores, no suporte direto aquele que fará a comunicação e que sem este suporte provavelmente não conseguiriam obter os resultados esperados e necessários na ajuda e orientação aos consulentes ou qualquer outro trabalho de ordem espiritual. No mundo espiritual assim como no material, ninguém trabalha sozinho!

Vamos exemplificar:

  1. Em dia de Gira de Caboclos podemos ter conosco parceiros espirituais das diferentes linhas de Orixás, Oxossi, Iansã, Ogum, Xangô, Oxum, Iemanjá, Nanã e Omolu/Obaluaê. Oxalá é o Orixá maior, que atua a todo tempo junto aos Orixás, Entidades e Médiuns, fazendo prevalecer suas determinações, normas e regras que devem ser consciente, respeitosa e rigorosamente obedecidas.Nas Giras de qualquer das linhas de trabalho, também haverá a contribuição e a parceria de todas as linhas, inclusive com a linha de Esquerda, e estarão sempre presentes em todos os trabalhos, porém com o predomínio da Entidade do dia.
     
  2. Dependendo do dia, do momento de maior atuação e vigor de cada Orixá dentro do calendário espiritual, um deles vai ser nosso mentor e de nossa Entidade, aquele que irá simultaneamente incorporar o Médium, os outros serão suportes que atuarão no plano espiritual, ajudando e colaborando no equilíbrio e na vibração do ambiente para uma maior emanação energética, no bem estar dos Médiuns e dos Assistidos que procuram por um atendimento.
     
  3. Em Gira de Esquerda temos as Entidades de Exu, Pomba Gira e Exu Mirim que da mesma forma segue o exemplo de cima na parceria entre eles, no suporte e também sendo suportados pela Direita. Os trabalhos serão sempre em conjunto não havendo necessidade de incorporação das três Entidades de Esquerda, a não ser em caso de uma necessidade bem especifica que requeira a ação direta de uma delas, normalmente a critério da Entidade de Esquerda que comanda os trabalhos de Descarrego ou das Entidades que Chefiam os trabalhos do Templo. Geralmente só a imantação deles já é suficiente para dar o Axé, o passe, a energia. E se eles precisarem dar algum recado, alguma orientação a Entidade de frente ira passar isso sem nenhum problema.
     

O que ocorre é que a pessoa quando está se iniciando no desenvolvimento de sua ou suas capacidades mediúnicas fica extremamente ansiosa, achando que por desconhecimento ou até vaidade, que a Entidade está ali e precisa incorporar se não ele vai passar mal, vai sentir tontura, vai ficar ou sair do Templo com alguma carga. Pura bobagem! Entidade de luz não carrega ninguém, muito pelo contrario! O que elas mais querem é que estejamos concentrados, sintonizados com elas, para poderem no uso de suas sensibilidades se sentirem, um ao outro, Médium/Entidade, Entidade/Médium, o que é o suficiente e atende a necessidade de ambos. Nada mais é que o exercício da sensibilidade mediúnica, sem que ninguém perceba, a não ser o Médium e a Entidade e não tem nenhuma outra necessidade de ser diferente. É ai que esta a capacidade de discernimento, bom senso e a maturidade do Médium.

O que pode nos carregar são nossos pensamentos fracos, negativos, egocentristas e de vaidade.  Temos que enxergar nossa condição de servidores, de aprendizes, condição essa que deve estar carregada de humildade, de respeito, de servidão, de felicidade em estar aberto ao que a espiritualidade espera de nós!

Aprenda a sentir, aprenda a se abrir a sintonizar essas energias que estão ao seu lado. Descubra quais são as Entidades suas de trabalho de incorporação ou qualquer outra linha de mediunidade que podem ser altamente qualificadas e especializadas em dar suporte no equilíbrio aos trabalhos. Desenvolva a percepção disso e estará contribuindo para que seu desenvolvimento mediúnico transcorra da melhor maneira possível, sem a preocupação de se exibir, de aparentar uma teatralidade que só vai atrapalhar e atrasar sua evolução espiritual e em alguns casos prejudicar a Corrente e os trabalhos.

Texto redigido por Rossana Di Natale com a colaboração de Carlos Feitosa, ambos Médiuns do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena verde em 03/04/2013.