• Seja bem vindo !

    Este site foi criado com o objetivo de divulgar a Umbanda e seus ensinamentos, atingindo não apenas os que frequentam nosso Templo, mas todos que se interessarem pela religião. Aqui você encontrará textos sobre rituais e normas de nossa Casa, reflexões da nossa Mentora, preleções das Entidades Chefes, temas desenvolvidos por médiuns da Corrente e de Saúde e Medicina Espiritual. Leia Mais
  • Nosso Livro

    O livro "Mensageiros da Espiritualidade" traz relatos ditados pelas Entidades Chefes e pela Mentora Espiritual do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde, em um manifesto aos seus filhos, frequentadores e à humanidade, sobre os preceitos e conduta que regem a Umbanda Sagrada nos dias atuais... Leia Mais
  • Conheça nossa página do FaceBook

    https://www.facebook.com/Templo-Espiritual-De-Umbanda-Caboclo-Pena-Verde-212423025776472/ Leia Mais

Cosme, Damião e Doum - Ibêji – Erês – Crianças

 

 

 

Ibêji são as divindades gêmeas, Orixás gêmeos ou Orixá duplo, são os Orixás africanos que protegem a todos, mas principalmente as crianças, gêmeos e os partos múltiplos. São conhecidos na Umbanda como os Orixás de amor e alegria.

Ibêji é formado a partir do princípio básico da dualidade. Entre as divindades africanas, Ibêji é o que indica a contradição, os opostos que caminham juntos. Ibêji mostra que todas as coisas, em todas as circunstâncias, têm dois lados, e que a justiça só pode ser feita se as duas medidas forem pesadas, se os dois lados forem ouvidos sob os mesmos critérios. É a divindade da brincadeira, da alegria, sua regência está ligada à infância, a alegria, a inocência e a ingenuidade.

Foram sincretizados com os Santos católicos, São Cosme e São Damião por serem estes gêmeos e atuarem principalmente em pró da saúde e bem estar das crianças através dos cuidados médicos e, não pelo fato de serem crianças, pois mesmo quando adultos, mantiveram sua pureza, alegria e ingenuidade, totalmente desapegados da matéria favorecendo os mais necessitados.

Doum seria o primeiro Filho nascido depois dos Gêmeos, o terceiro ponto, balizador do equilíbrio e da justiça com igualdade.

Viveram no oriente e também foram perseguidos pelo Imperador romano, Diocleciano. Muito pouco se conhece a respeito deles, sabe-se, porém que eram gêmeos e foram Médicos devotados aos cuidados das pessoas, crianças ou mesmo animais. Nada ou muito pouco cobravam por seus atendimentos, por isso eram chamados pelos gregos de “anargiros”, isto é, sem dinheiro. Pouco se sabe sobre a morte deles, que até hoje é uma incógnita. Em algumas regiões são também chamados de Crispim e Crispiniano.

O Orixá Ibêji apresenta-se normalmente sob a forma de criança ou espírito de criança, da forma que desencarnou, mantendo as características espirituais que tinha quando em vida. Desta maneira permitem e facilitam uma melhor comunicação com as nossas crianças e com a linha espiritual na qual atuam, servindo como espíritos puros, aos propósitos das missões que lhes são destinadas, trazendo a cura para as doenças e amparo para as crianças enquanto estão na condição terrestre de um ser puro e inocente, e também para animais indefesos.

Seus domínios, ambientes naturais de manifestação e atuação são em jardins, parques, extensos gramados, cachoeiras, praias, locais com muitos recursos naturais, riachos e rios calmos, campos na florada. Sua cor é o rosa, os espíritos que trabalham sob a influência e irradiação de Ibêji são espíritos de grande força espiritual, totalmente contrária à figura que se tem de uma criança. Julga-los frágeis e fracos e de fato um grande erro, pois depois de Oxalá são os únicos que dominam totalmente as fontes de energia da natureza, do poder mágico dos sentimentos e vibrações mais puras de luz intensa.

As Entidades que trabalham nessa linha são espíritos de crianças que também são chamadas de Erês. São porta-vozes das mensagens dos Orixás através de suas palavras de carinho e pureza. Comumente se apresentam em alguns Templos quando da homenagem a um Orixá ou mesmo a uma Entidade, quando esta não se apresenta, trazendo mensagens profundas e mesmo complexas, no intuito de orientação, esclarecimento e do toque da sensibilidade e do íntimo das pessoas.

Apresentam gestos e voz de criança e transmitem irradiações muito fortes e puras de sentida e percebida intensidade, portanto tem muita facilidade de atuação na cura de dores, dos males físicos, da mente e da alma.

Eles vão, com suas conversas inocentes envolvendo os consulentes, sutilmente trabalhando seu íntimo, regenerando seus Chacras para reequilibrá-los, Eles conseguem penetrar em nosso íntimo e identificar nossas angústias, nossos sofrimentos, nossas emoções. Seus trabalhos, além da grande força espiritual que já trazem, também recebe todo um respaldo do plano espiritual de luz, o que os torna ainda mais fortes e capazes, portanto se diz que, o que um Erê fez, somente um Erê tem o poder de tirar.

Seu dia na Umbanda é 27 de Setembro, a entrega em homenagem ao Orixá Ibêji (Cosme e Damião), se faz com velas na cor rosa, flores na cor rosa ou branca, sem nenhum espinho, doces como, cocadas, balas, pirulitos, fatias de bolo e, como bebidas, água pura ou adoçada com mel ou mesmo refrigerantes como o guaraná.

Ibêjí - São Cosme e São Damião são Entidades ligadas muito estreitamente a Oxalá, são um de seus braços de luz espiritual sobre o mundo. Possuem força suficiente para atender a nossos apelos de proteção contra demandas e malefícios e a nossos pedidos de amparo e proteção para as crianças, principalmente quando estas se encontram enfermas.

Os pedidos a Ibêji - Cosme e Damião, devem ser feitos de mente aberta e limpa, coração vazio de rancores, mágoas e amarguras.

São Entidades puras, extremamente positivas, amorosas e caridosas, a serviço do bem, mantém distância de pessoas interesseiras, invejosas, de pensamentos negativos, maldosos, perversos, egoístas e vingativos, apesar de também serem vigorosos e fortes combatentes do mal.

O afastamento destas Entidades de pessoas ou mesmo espíritos, já decretam aos olhos da espiritualidade uma condenação, e o quanto terão que resgatar para se redimirem. Os filhos de cabeça do Orixá Ibêji, são muito raros, exatamente por não aceitarem sentimentos e pensamentos negativos, maldosos e prejudiciais. Este Orixá exige uma linha de relação e sintonia muito pura, um canal muito limpo com seus filhos, o que praticamente somente é encontrado em crianças durante seu estado de pureza e inocência e mesmo assim, se esta criança já estiver contaminada pelo mal transferido pelo adulto ou por, de alguma forma já vir com ela, irão procurar ajudá-la ou atender aos pedidos de ajuda, porém a uma relativa distância.

Texto preparado e redigido por Rossana Di Natale com a colaboração de Carlos Feitosa, Médiuns do Templo Espiritual de Umbanda Caboclo Pena Verde.